Bounce rate (taxa de rejeição) no Google Analytics

15 minutos para leitura

Bounce rate Google Analytics

O que é bounce rate? Como essa taxa de rejeição é calculada? Qual é a taxa ideal? Essas e outras dúvidas e a importância de se acompanhar essa métrica serão respondidas neste artigo.

O bounce rate é uma das métricas mais mal interpretadas do Google Analytics. Para entendermos um pouco mais sobre bounce rate e sua importância vamos ver antes o que são sessões no GA.

Sessões (visitas) no Google Analytics

Já escrevi sobre sessões no GA anteriormente. Definição de uma sessão:

A sessão é um grupo de interações de usuários com o seu website que ocorrem em um determinado período.

O que é bounce rate?

Bounce rate (taxa de rejeição) é uma métrica que indica a quantidade de usuários que acessaram uma determinada página e a abandonaram logo em seguida, sem nenhuma interação.

Segundo o Google:

Uma rejeição é uma sessão de página única no seu site.

Mas o que isso quer dizer? A taxa de rejeição é o percentual de visitas com apenas uma página visualizada, ou seja, a visita na qual a pessoa abandona o site sem visitar nenhuma outra página (ou realizar outro evento – veremos isso adiante).

Basicamente, um bounce é uma sessão na qual a pessoa sai pela página que entrou, sem ver outras páginas. Um bounce independe do tempo que a visita durou. Se o usuário ficou 30 segundos ou 10 minutos não importa. A partir do momento que ele deixa a página sem qualquer interação é contabilizado um bounce e a taxa de rejeição (bounce rate) é movimentada.

Quando uma visita de página única não é um bounce?

Para entender como a taxa de rejeição é calculada pelo GA é importante saber que alguns fatores podem ter influência sobre esta métrica.

Nem sempre uma visita de página única será um bounce. Veja alguns exemplos de sessões que possuem apenas uma visualização de página mas não são um bounce:

Sessões com eventos

Um visitante pode iniciar uma sessão em uma página e a mesma possuir um evento configurado, como por exemplo o clique em um botão, scroll ou evento por tempo de permanência na página

Mesmo que o visitante não navegue para outras páginas, um evento configurado para disparar algum tipo de interação o classificará como um não bounce.

Compartilhamento em redes sociais

Um visitante também pode entrar em um conteúdo do site ou blog e compartilhá-lo, sem navegar por outras páginas.

Se este compartilhamento estiver sendo rastreado como uma interação ele não será um bounce.

Auto execução de eventos

Se o site está configurado para disparar eventos automaticamente como iniciar um vídeo quando o visitante chegar a determinado ponto da página, este pode estar sendo classificado como um evento de interação e portanto não será um bounce.

Como o Google Analytics calcula a taxa de rejeição?

O GA calcula o bounce rate para páginas e para o site.

Bounce rate de uma página

A taxa de rejeição de uma página é calculada da seguinte forma:

Bounce rate = [número de bounces na página (em determinado período)] / [número de entradas na página (no mesmo período)]

Imagine um visitante navegando no site e apresente o seguinte comportamento:

  • Segunda-feira: página A > página B > página C
  • Terça-feira: página B > página A > página C
  • Quarta-feira: página A > saída

Se observarmos o relatório da página A veremos que a mesma teve três exibições de página e uma taxa de rejeição de 50%. Você pode pensar que seria 33% mas a exibição da página A na terça-feira não entra no cálculo da taxa de rejeição (não foi uma entrada na página A).

Bounce rate de um site

A taxa de rejeição de um site é calculada conforme segue:

Bounce rate = [número total de bounces em todas as páginas (em determinado período)] / [número total de entradas nas páginas (no mesmo período)]

Bounce rate no Google Analytics
Bounce rate no Google Analytics

Qual a diferença entre bounce rate e exit rate?

É comum a confusão entre taxa de rejeição e taxa de saída mas é importante ressaltar que são conceitos diferentes.

Enquanto a taxa de rejeição mostra quantos visitantes entraram e saíram de uma página sem interação, a taxa de saída indica quantos visitantes saíram em determinada página.

Segundo o Google:

A Taxa de saída é a porcentagem em que a página foi a última na sessão para todas as exibições de página.

A taxa de saída é calculada por:

Exit rate = [número de saídas da página (em determinado período)] / [número de pageviews da página (no mesmo período)]

Vamos explorar bounce rate e exit rate através de um exemplo do próprio Google:

  • Segunda-feira: página B > página A > página C > saída
  • Terça-feira: página B > saída
  • Quarta-feira: página A > página C > página B > saída
  • Quinta-feira: página C > saída
  • Sexta-feira: página B > página C > página A > saída

Os cálculos de taxa de saída e rejeição são:

Taxa de saída:

  • Página A: 33% (3 sessões incluíram a página A, 1 sessão saiu da página A)
  • Página B: 50% (4 sessões incluíram a página B, 2 sessões saíram da página B)
  • Página C: 50% (4 sessões incluíram a página C, 2 sessões saíram da página C)

Taxa de rejeição:

  • Página A: 0% (uma sessão começou com a página A, mas não foi uma sessão de uma única página e, portanto, não tem taxa de rejeição)
  • Página B: 33% (a taxa de rejeição é menor que a taxa de saída porque três sessões começaram com a página B, com uma levando à rejeição)
  • Página C: 100% (uma sessão começou com a página C e levou à rejeição)

Taxa de rejeição está vinculada à página de entrada. Taxa de saída está relacionada com a página em que o visitante deixa o site.

Caso tenha interesse, este vídeo do Nielsen Norman Group traz uma boa explicação sobre a diferença entre bounce rate e exit rate.

Qual o bounce rate ideal?

Opa, muita calma nessa hora!

Desconfie de qualquer profissional que receitar uma taxa de rejeição ideal para o seu site sem uma análise mais detalhada do seu negócio. A taxa de rejeição varia muito de setor para setor e por tipo de site:

Bounce rate benchmark – por Kissmetrics

É muito importante levar em consideração os objetivos do negócio e da página que está se analisando. Um taxa de rejeição de 70% para uma notícia pode ser normal enquanto que para uma página de categoria num e-commerce pode ser considerada elevada.

Simo Ahava propôs uma brincadeira divertida sobre uma taxa de rejeição boa para o seu site.

Nunca pergunte qual é a taxa de rejeição ideal para um site. É uma pergunta boba. A taxa de rejeição deve ser utilizada para outros propósitos.

Uma alta taxa de rejeição é ruim?

Depende. Aliás, essa é uma resposta padrão válida para muitos questionamentos feitos em relação à analytics e SEO.

Pense numa landing page informativa onde você exibe um comunicado ou serviço para seu visitante, sem ação requerida. É absolutamente normal e esperado que tenhamos uma alta taxa de rejeição.

Agora, se você possui um portal ou loja virtual que depende da visualização de várias páginas, uma alta taxa de rejeição na página de entrada não é interessante.

Após realizar várias auditorias em contas de Google Analytics percebi que se o site (ou algumas páginas) apresentam baixo bounce rate (digamos 10-20%) possivelmente há algum problema técnico na implementação. Pode ser um problema de código de rastreamento duplicado ou algo que esteja acionando um segundo hit numa mesma sessão.

Sempre que estiver fazendo uma análise sobre a taxa de rejeição tenha em mente:

Comportamento do usuário

Como o visitante está interagindo com sua página? Que ações são esperadas?

Se a página de entrada não está oferecendo o que o visitante procura ele irá abandoná-la.

Se você exibe a informação que o visitante estava buscando e não exige que ele navegue por mais páginas ele também irá abandoná-la, só que neste caso satisfeito.

Tipo de site

Diferentes sites possuem diferentes taxas de rejeição. Em um site de notícias é aceitável as pessoas entrarem em uma matéria e a abandonarem em seguida.

Da mesma forma, num site one page, sem nenhum evento adicional configurado, é esperado que tenhamos até 100% de taxa de rejeição.

Tipo de página

Se o visitante está buscando informações de contato e entra pela página de contato provavelmente teremos um alta taxa de rejeição nesta página. Isso também ocorre com outras páginas institucionais.

Qualidade da landing page

Se uma landing page não possui um visual atraente, exibe muitos anúncios, não apresenta um call to action claro é bem possível que a taxa de rejeição nela será alta.

Tipo de conteúdo

Uma página que possa servir de guia e utilizada de forma isolada, como um tutorial, é possível que a rejeição seja alta. Pense em qualquer página que você tenha adicionado aos seus favoritos, você entra, localiza a informação e sai.

Setor

Como já disse antes a taxa de rejeição varia de setor para setor.

No segmento de notícias por exemplo é de se esperar que tenhamos altas taxas de rejeição. Já num blog especializado sobre alimentação saudável esta taxa será consideravelmente menor.

Qualidade do tráfego

Aqui é basicamente uma questão de posicionamento. O site está levando as pessoas certas para dentro dele ou o público que está visitando suas páginas não tem interesse real em seu conteúdo?

Canais de aquisição

Diferentes canais de aquisição, origem de tráfego, tendem a apresentar diferentes taxas de rejeição.

Geralmente visitantes vindos de redes sociais apresentam maior taxa de rejeição que os vindos de origem orgânica. Também, espera-se que visitantes vindos de uma campanha de e-mail marketing se engajem mais com o site e portanto tenham menor bounce rate.

Tipo de visitante

É esperado que os novos visitantes apresentem uma taxa de rejeição maior que os visitantes recorrentes por não conhecerem bem o site.

Da mesma forma, um redesign pode num primeiro momento significar o aumento na taxa de rejeição visto que os visitantes estarão experimentando algo novo e precisam de algum tempo para adaptação.

Tipo de dispositivo

Bounce rate pode variar bastante de dispositivo para dispositivo.

Se o site não é adaptado para dispositivos móveis ou alguns elementos essenciais para a navegação do usuário (ex. tabelas, CTAs, etc.) não estão sendo exibidos corretamente é possível que a taxa de rejeição seja maior no mobile.

Como analisar e reportar bounce rate?

Toda vez que for analisar taxa de rejeição procure contexto. Nunca olhe para métricas de forma isolada, elas podem levar a conclusões equivocadas.

Aconselho sempre escolher métricas parceiras para suas principais métricas. No caso da taxa de rejeição, sugiro olhar para uma métrica parceira adjacente, o CTR.

Use segmentos para compreender como a taxa de rejeição varia em função de origem do tráfego, dispositivo, tipo de usuário, período, etc.

Faça perguntas como:

  • Qual é a taxa de rejeição dos visitantes de origem orgânica?
  • Qual é a taxa de rejeição dos visitantes vindos através de campanhas pagas?
  • Qual é a taxa de rejeição de assinantes logados? E de usuários não logados?

E lembre-se, nunca pergunte “qual é a taxa de rejeição do meu site?”

Como diminuir a taxa de rejeição?

Existem diversos métodos para melhorar (diminuir) a taxa de rejeição. Gosto de classificá-los de duas formas: naturais e artificiais.

Métodos naturais

São métodos que visam oferecer uma melhor experiência para os usuários. Foque nisso.

  • Crie landing pages (páginas de entrada) agradáveis para o visitante;
  • Exiba CTAs que convertam, com bom texto e destaque visual;
  • Crie chamadas atrativas para outras páginas;
  • Não utilize popups;
  • Limite o uso de ads que possam distrair o visitante;
  • Reforce sua linkagem interna (estrutura do site) e evite links quebrados;
  • Preste muita atenção à velocidade de carregamento do site e página (faça testes em ambos);
  • Tenha 100% do conteúdo responsivo (adaptado para dispositivos móveis);
  • Direcione campanhas para páginas com melhor poder de conversão;
  • Ofereça conteúdos mais curtos. Conteúdos longos podem engajar na leitura mas é provável que o visitante estará cansado após a leitura de um grande artigo, aumentando as chances de bounce;
  • Ofereça um motivo para o visitante continuar navegando (recompensa, pesquisa, leituras sugeridas, etc);
  • Faça pesquisas com os visitantes.

Métodos artificiais

São métodos que envolvem alguma manipulação na implementação do Google Analytics.

Essa manipulação pode ser feita através da configuração de algum evento interativo como por exemplo um clique em algum elemento da página.

Você pode considerar, por exemplo, que se um visitante entra em uma página e permanece nela por mais de 3 minutos ele está engajado e portanto não é um bounce.

Um visitante que chega ao final de uma página através da rolagem pode ser considerado um visitante engajado e portanto não é um bounce.

Usar métodos artificiais para ajustar a taxa de rejeição não é comum e geralmente não é recomendado. Ainda assim, é uma opção que deve ser avaliada conforme os objetivos do negócio.

Dúvidas frequentes

Qual a diferença entre bounce rate e exit rate?

Bounce rate se aplica à página de entrada (primeira página visitada ao entrar no site). Exit rate se aplica à página de saída (a página em que o visitante deixou o site).Bounce rate vs Exit rate

Qual é a taxa de rejeição ideal?

Depende. Diferentes setores podem apresentar diferentes taxas de rejeição. O mesmo ocorre com o tipo de site. Alguns tipos de site apresentam maior taxa de rejeição.

Um bounce rate alto é ruim?

Nem sempre. Se você possui um site one page, por exemplo, é absolutamente normal que tenha uma alta taxa de rejeição. Alguns tipos de site, página e conteúdo possuem altas taxas de rejeição e é perfeitamente normal.

Como eu configuro um evento para não impactar a taxa de rejeição?

Caso queira configurar eventos sem que eles afetem a taxa de rejeição do site/página cadastre-os como eventos não interativos. Isso é bem simples se você utiliza o Google Tag Manager para gerenciar suas tags. Evento não interativo

Bounce rate afeta o posicionamento no Google?

Não. Embora muitos acreditem que uma alta taxa de rejeição afeta o posicionamento isso não é verdade. Lembre-se que nem todos os sites utilizam o Google Analytics e portanto não possuem um bounce rate atribuído.

Bounce rate pode afetar campanhas de links patrocinados?

Sim. Embora não afete o posicionamento orgânico do site se você investe em links patrocinados pode vir a ter uma campanha de custo mais alto por conta do índice de qualidade do anúncio. Este índice leva em consideração a experiência na página de destino do anúncio. Experiência ruim = menor índice = campanhas mais caras.

Como reduzir o bounce rate?

Procure oferecer a melhor experiência para o visitante. Tenha um site rápido, uma boa landing page, crie chamadas atrativas, conteúdo relevante para seu público e ofereça motivos para o visitante continuar navegando. Se quiser alterar o bounce rate de forma artificial tenha cuidado e procure entender as necessidades do negócio.

Continue lendo: “Como instalar o Google Analytics usando o Google Tag Manager

É isso! Espero que este artigo ajude a compreender um pouco melhor o que é taxa de rejeição no Google Analytics. Caso ainda tenha alguma dúvida fale comigo nas redes sociais.

Caso precise de uma consultoria de web analytics na sua empresa entre em contato!

Inscreva-se

Artigos gratuitos sobre estratégia, SEO, analytics e WordPress diretamente no seu e-mail.

Sobre o autor

Leia também
Home » Search Engine Optimization » Bounce rate (taxa de rejeição) no Google Analytics
Menu